A audiência pública realizada pelo Ministério Público nesta terça feira 04 de julho teve ampla divulgação e apoio por parte da prefeitura municipal, que se mobilizou com toda a estrutura necessária, cadeiras, mesas, água, confecção de artes, divulgação via carro de som, divulgação na internet, sonorização, técnico de som, cobertura jornalística, profissionais que trabalharam na arrumação do espaço e outros tantos envolvidos em tudo que se fez necessário, para que não faltasse nada neste importante momento onde a população pudesse ser bem recebida e acomodada, podendo se sentir a vontade para exercer sua cidadania e expressar a sua vontade de direito no que diz respeito a vinda do cadeião para Rio Branco do Sul.

A população por sua vez compareceu em peso lotando o salão da Associação dos Servidores Municipais ( Asem). Pacificamente e através de perguntas inscritas e aplausos deixou muito claro que é contra a instalação do cadeião em Rio Branco do Sul.
Compuseram a mesa diretiva as seguintes autoridades: Prefeito Municipal Cezar Gibran Johnsson, Promotores de Rio Branco do Sul- Thais Nunes Ferreira, Rafael Sampaio Cavichioli, Alan Bonzam Witczak; Promotor de Curitiba – André Tiago Pasternack Glitz, o Delegado representando a SESP: Secretaria Estadual de Segurança Publica-Alfredo Dib Junior, o Delegado Rio Branco do Sul- Dr Nasser, o Representando DEPEN: Departamento Penitenciário Nacional-Dr Luis Alberto Cartaxo Moura e a Juíza da Vara Criminal Marina Lorena Pasqualoto.

Além da mesa diretiva o Pároco da igreja Católica Padre Èder, representantes de Associações e moradores fizeram o uso da palavra de forma democrática e ordenada.

O prefeito Cezar Gibran Johnsson como representante da Prefeitura Municipal de Rio Branco do Sul em seu pronunciamento, deixou clara a sua posição, bem como a da Prefeitura no assunto: “ Espero que o Governo do Estado reveja essa situação e aqui quero deixar bem claro: a Prefeitura de Rio Branco do Sul diz não ao cadeião nesta noite e vai lutar por isso”.